Editora JBC Made in Japan Hashitag Mangás JBC AkibaSpace BMA

Jogamos Resident Evil 7 - Beginning Hour

em 20 de junho de 2016É bom, mas não é Resident Evil

Depois de liberado, nós jogamos Resident Evil 7 – Beginning Hour. O jogo definitivamente está muito bonito, mas se tem uma coisa que dá para dizer logo de cara é: “não é Resident Evil”.

Os gráficos são extremamente realistas e com certeza trará uma experiência bastante intensa para os jogadores, principalmente para aqueles que usarão o óculos de realidade virtual. A câmera do jogo favorece esse tipo de jogabilidade. Aliás, é até um tanto quanto estranho jogar sem eles, e ver que há um círculo bem iluminado no meio, mas fora desse “demarcação feita pela luz”, não dá pra enxergar nada na maior parte do tempo.

Beginnig Hour começa com você acordando em uma casa de campo toda bagunçada, com diversos itens e mobílias sujos, quebrados e dispostos das mais diversas maneiras. Ela pode ser finalizada em cerca de 10 minutos, ou até menos, e existem algumas coisas diferentes para se fazer a cada rodada. A única coisa que aparentemente não muda, é que não é possível sair da casa “com vida” (também não é possível concluir se o seu personagem morre).

É possível ver alguns elementos marcantes da demo de Silent Hills (ou P.T. – Playable Teaser), como o telefone com uma mensagem vaga (nessa demo de Resident Evil podem ser até 3 diferentes), a atmosfera do jogo e até mesmo a maneira como ele se desenrola. O looping infinito após falhar ao sair da casa tranquilamente, também nos recorda da cena onde o personagem acorda no chão de um quarto (no Silent Hills).

Apesar de todas essas características boas para um survival horror, o jogo, por ser Resident Evil, fica um tanto quanto frustrante. E, sim, o principal fato que nos leva a ter essa opinião é a visão em 1ª pessoa (mesmo o Silent Hills – Playable Teaser, não é/era um Silent Hill).

É inegável que o jogo tem um ótimo clima de terror, gráficos lindos, e tudo mais que a gente deseja em um bom jogo desse gênero. Mas vale lembrar que Resident Evil não seria o que é hoje, se não tivéssemos Leon, Claire, Jill, Chris, etc, etc. Tirar a visão em 3ª pessoa nos tira toda possibilidade de nos afeiçoarmos pelos protagonistas, quebrando drasticamente o ritmo da franquia.

Pode ser um jogo bom? Pode sim, com certeza. Mas se for como na demo, será um ótimo jogo, porém não será um Resident Evil.

Resident Evil – Beginning Hour já pode ser baixado na PlayStation Store, por quem possui PlayStation Plus.

O jogo

Para quem ainda não viu como é a demo, aqui dispomos um vídeo com o gameplay dela:

Caique Guirao

Publicitário, faixa preta em Karatê, quase preta em Wing Chun, grande fã de Star Wars, Zelda e Assassin's Creed, e apaixonado por música.

site twitter

Notícias Relacionadas